terça-feira, 24 de agosto de 2010

O Mestre Mário Pólvora

Hoje fui surpreendido pela visita de um antigo Professor que já não via há muitos anos, o Mestre Pólvora.
Quem andou nos electricistas lembra-se bem deste professor.
Em minha opinião foi um dos grandes profissionais que passou pela Escola.

Em 1969 levantou-se algumas dúvidas sobre a sua vida pessoal e foi convidado a aceitar a “sugestão” de se transferir para outra Escola, que recusou, pondo ponto final na sua carreira como docente.
Sobre o assunto diz o meu amigo Pólvora:

“Faz dentro em pouco 41 anos em que morri e desde então esta "imitação" de vida mais sofrida que real tem sido uma travessia absolutamente dolorosa. Em 1969 perdi aquilo de que mais gostava - ensinar, se bem que continuei também a acompanhar a formação de jovens quer em clubes de que fui dirigente, quer como treinador e juiz-arbrito de atletismo.
Também dei formação durante anos nos cursos do fundo social europeu.
Neste momento estou reformado e a viver cada dia dos meus 67 anos com o desejo de que todos e cada um dos meus 214 ex-alunos tenham vencido na vida, principalmente com saúde.”

Esta “história” na altura ficou muito mal contada e hoje reforcei a minha ideia que houve politica pelo meio, porque o regime não gostava muito de “vermelhos”.

Mas isso são águas passadas e o Pólvora é um resistente e não se deixou abater.

Mas voltando ao nosso encontro, fiquei completamente rendido à sua memória de elefante. Quando se refere aos “seus 214 alunos” faz sempre pelo nome completo e mostrou um profundo conhecimento das suas carreiras profissionais e não só.

“Sei que infelizmente essa jóia de rapaz que era o José Mamede Carreira Ângelo nos deixou em 1999. Vi o agradecimento do Grupo Regojo num jornal de Lisboa, de que ainda tenho o recorte. Também o Henrique Santana que foi aluno do CFME nocturno, mais tarde Animador Cultural aqui na Câmara da Marinha Grande, partiu na grande viagem de que muito tarde tive conhecimento por amigos comuns do Partido Comunista.”

Sobre os Encontros de Maio diz:

“O Blog é uma maravilha se bem que aquelas míudas e aqueles garinos hoje pareçam mais carquejas que eu. Por ele vou seguindo a par e passo das vossas actividades e encontros anuais.
Vou vendo que"lanzudos" como o Álvaro Gandaio, tortos como o João Almeida e outros perderam o viço capilar. Coisas da vida.
Nas fotografias(dos Encontros) reconheço o Amilcar Prata Palma dos Santos, o Bertolino Francisco, o Carlos Alberto Gonçalves Neves (Cábé), o José Luis Santos Brilhante, o Álvaro Teixeira Gandaio, o João Almeida da Silva (João Torto), o Francisco Barros Cunha Leal, o Luis Manuel Franco Silva, enfim tudo gente boa. Um abraço sentido que envolve toda a “confraria dos pataniscas”.

Um Grande Abraço do Mário Pólvora

Para ilustrar o que digo sobre a sua memória vejam esta fotografia que ele enviou devidamente identificada.

Sem comentários: