segunda-feira, 18 de julho de 2011

O Curso de Cerâmica

Estas fotografias foram publicadas na Revista Diálogo em Julho de 1971.


A reportagem incidia sobre o Curso de Cerâmica, e as legendas em cada foto estão conforme as publicadas.


O objectivo supremo da vida deve ser aumentar o valor intrínseco individual. As amplas perspectivas da inteligência, o amor do belo, a estima pelos bens positivos da criação artística são as constantes permanentes do Curso de Cerâmica.
Nele os jovens adquirem formação técnico-profissional que lhe permite abrir caminho na maravilhosa arte de plasmar o barro.

O Mestre de cerâmica Manuel Rainho que há 32 anos exerce o magistério, esclarece o Repórter sobre o fabrico da pasta numa das oficinas do Curso de Cerâmica.
O Escultor Eduardo Loureiro, Director da Escola e Professor de Modelação e desenho, explica ao repórter como se processa o Curso de Cerâmica ministrado em três anos de preparação intensa.

Na presença de colegas, dois finalistas do Curso de Cerâmica recebem das mãos do escultor Eduardo Loureiro o Prémio de Mérito, justo galardão, que permeia o esforço da vontade posta à prova durante os meses de estudo.

Comentário:

Não resisti a estas imagens de saudade e ... aqui fica um desabafo! Fui aluna do Escultor Eduardo Loureiro, na disciplina de Desenho, nos dois anos do C.Preparatório. Eu adorava este Mestre - pois ele dava uma grande atenção aos meus trabalhos de Desenho e sentia assim o meu trabalho reconhecido. No final desse período de 2 anos e na altura da escolha do curso a seguir, o nosso Escultor decidiu chamar os encarregados de educação de dois alunos da minha turma. Claro, um foi o meu. Quando meu pai chegou a casa (eu estava mesmo convencida que o professor o tinha convencido)disse-me peremptoriamente "nem pensar!" - só permitiria que escolhesse ou o Curso Comercial(G.Comércio) ou o Industrial (Formação Feminina). Claro nesse dia as lágrimas foram muitas.
Nos anos que se seguiram os sonhos foram ficando recalcados e de vez em quando lá me debroçava sobre o papel rabiscando algo que me vinha à memória - mas foram ficando esquecidos na gaveta. Agora no meu tempo livre de reformada dou azo a esse sonho e exponho-o aos olhos de quem quer - foi o meu professor, o nosso Escultor Eduardo Loureiro que um dia tive o prazer de reencontrar e que me aconselhou a nunca esquecer esse meu sonho.

Obrigada por poder rever em fotos essa imagem que me leva a sorrir!
Um abraço a todos.

Esmeralda..................19-07-2011

Estas fotos que recordam os alunos do Curso de Cerâmica da Escola Rafael Bordalo Pinheiro, levaram a Esmeralda a recordar não só o Escultor e Professor Eduardo Loureiro, como os sonhos do seu tempo de estudante.
Agora, que de vez em quando os mostra aos olhos de quem quer, estou convicto que o nosso Blog ficaria bastante enriquecido se aqui fossem expostos alguns dos seus trabalhos. Tenho a certeza que o Zé Ventura aceita a ideia, e os visitantes deste espaço vão agradecer.

Fernando Santos...............21-07-2011

Já que falaram do antigo Director da Escola o Escultor Eduardo Loureiro, vou recordar um facto passado na Escola a seguir ao 25 de Abril...

Como já referi, andei algum tempo na Escola à noite, porque me faltavam algumas cadeiras...(se fosse hoje, ia ao AKI...ou às novas oportunidades e talvez até me tivesse licenciado...ao Domingo...)
Já era casado e com dois filhos...e com a tropa feita e com 2 anos de guerra...

O período pós 25 foi bastante conturbado com algumas perseguições a algumas pessoas...entre elas o Director da Escola...

Houve um plenário no ginásio da Escola, com alunos e professores...

Especialmente um professor que parece tinha sido bastante protegido pelo Escultor Loureiro, era o mais encarniçado contra o Director da Escola...
Não houve nada que não lhe chamasse e o Director coitado, calado ouvia tudo...

Aquela reunião plenária ao bom gosto comunista (o professor em causa militava na UDP ou coisa parecida...)...
Fui enchendo e às tantas não aguentei mais...pedi a palavra e só não chamei santo ao tal revolucionário...

O Director acabou saneado...mas eu fiquei um pouco mais aliviado...!!

Maximino.................21-07-2011
 
A minha mãe Mª Madalena Silva! Uma das poucas mulheres entre os ceramistas!! Era preciso coragem na altura :)
 
Ana Mateus...............03-04-2013

1 comentário:

Anónimo disse...

O Maximino ate'poderia ser Doutor se somasse os anos de praia e outros creditos que adquiriu ao longo da sua vida e nem era preciso frequentar a universidade ao domingo (para ser o tal doutor)