sábado, 22 de maio de 2010

Antigos alunos nos cinquenta anos da ROL

A Schaeffler (Antiga ROL) fez 50 anos de existência. Ao longo destes anos tem passado por várias fases, umas boas outras menos boas, mas sempre conseguiu superar as situações mais difíceis e em plena época de crise economia como a que atravessamos, espera conseguir mais um recorde, atingindo a produção de 60 milhões de rolamentos.

À Scheaffler foi atribuída a medalha de Honra da Cidade, pelo seu contributo à economia da Cidade e da Região, sendo também atribuída ao Carlos Gouveia a medalha de ouro pelo seu trabalho no desenvolvimento e dinamismo à frente desta empresa, que como diz
“ AS CALDAS TAMBÉM FAZ GIRAR O MUNDO”.

É com muito orgulho que para tal contribuíram e continuam a contribuir muitos dos antigos alunos da Escola Industrial e Comercial Rafael Bordalo Pinheiro, hoje quadros desta empresa, onde se destaca o Carlos Gouveia, como director geral, assim como muitos outros que agora foram agraciados pela sua dedicação e pelo trabalho com mais de 30 anos ao serviço da R O L.
As fotos seguintes reportam a esse acontecimento que teve lugar na Lareira no passado Sábado dia 15 de Maio,

Filipe Silva

Henrique Jorge e Carlos Gouveia

Dília Ferreira

José Brilhante

Filipe Silva com o Primeiro Administrador, Loy

Ribeiro

José Ferreira
Comentários:

Foi à quarenta e seis anos, vindo da guerra colonial (ANGOLA) que eu pertenci ao grupo de trabalho nessa empresa, talvez uns cinco meses, mas que poderiam ter sido quarenta anos. Na altura em 1966, como eu tinha o curso industrial e o serviço militar cumprido, fiz uma aplicação para uma das posições que havia em aberto "controlo de qualidade", mas com oportunidade de avanço para quaisquer outra posição. Na secção de química, havia uma senhora (engenheira) que me iria dar essa oportunidade, só que houve alguém que disse que eu fazia falta onde estava (inverdade) e lá foi a oportunidade "por águas abaixo", o que me levou a vir para o Canadá como "Turista", sem dinheiro. Não era um sonho meu sair de Portugal, mas como tinha um irmão e irmã por estas paragens tive essa decisão e segundo me parece foi a decisão certa. Agradeço a oportunidade dada pela ROL, na altura e que ela continue a andar sobre rodas são desejos meus

J.Chaves………….27-05-2010

O Chaves partiu para o Canadá (país maravilhoso) devido àquela pequenina inverdade, tão típica de certos meios. Quantos não houve que em certas alturas tiveram vontade de fazer o mesmo ao longo de vidas inteiras de trabalho, nem sempre correspondidas com a devida recompensa, monetária ou outras.

No meu caso pessoal a razão da partida, estava o PREC no auge, foi devida a factos bem diferentes, até porque nunca cheguei verdadeiramente a trabalhar nesse cantinho, se exceptuar umas quantas explicações de Contabilidade a alguns alunos da Bordalo, com mais dificuldades. O que no entanto tinha em comum com o Chaves, era a falta de dinheiro,mas recuando no tempo realizo que o mesmo não fazia tanta falta como agora.

Como me dizia um barman na praia de Varadero há já longos anos, era o turismo ainda um bebé naquelas paragens, depois de lhe ter chamado a atenção para o facto de durante 3 dias não haver cerveja:

«amigo, tiennes mucho sol, playa e mujer guapa, porque quieres tambièn cerveza ?»

Para concluir que as coisas têm apenas o valor que lhes quisermos dar!

J.L.Reboleira Alexandre..........27-05-2010


Em primeiro lugar dar os meus parabéns ao meu amigo e colega Henrique pela sua longevidade ao serviço da Rol. 50 Anos é uma vida.
A outra, é que eu também trabalhei na Rol durante 3 meses no Control de Qualidade. Logo que acabei o Curso Industrial como tinha que fazer o estágio lá fui eu. Nessa altura já havia penso que três ex alunos da escola das Caldas a trabalhar, dois no planeamento onde estive umas semanas. Os dois do planeamento´, talvez 3 anos mais velhos que eu sempre me trataram como colega deles tenho boas recordações deles. Creio que um chamava-se Arlindo o outro não me lembro. O terceiro era do tipo chico esperto não me deixou saudades, sei o nome e a alcunha mas não digo.


Marco António..........14-05-2013

Sem comentários: