terça-feira, 6 de julho de 2010

Matilde Rosa Araujo

A Escritora Matilde Rosa Araujo morreu hoje aos 89 anos.

O que muita gente não sabe é que esta escritora, que ficará para sempre ligada à docência e à literatura infantil, foi professora na nossa Escola nos anos cinquenta, deu aulas de Português durante dois anos.

Recorrendo a uma fotografia da Solange, provavelmente tirada numa festa da espiga, podemos ver vários professores e a poetisa Matilde Rosa Araujo, em pé no lado direito.

Em jeito de homenagem aqui fica um poema de sua autoria, publicado em 1986

Presentinho de Natal

Eu queria ter um cestinho cheio de Flores
Para tecer um xaile de muita cor, muito lindo!
E um retalhinho do Céu
Para fazer um vestido azul tão lindo!
E mais sete estrelas das mais brilhantes
Para armar um chapeuzinho de Luz!
E mais ainda dois quartinhos de Lua
Que chegassem para uns sapatos de saltos muito altos
E tudo isto, depois
Eu dava a minha Mãe
De dentro do meu coração
Neste dia de natal:
O Xailezinho de muita cor,
O Vestido azul,
O chapelinho de Luz,
Os Sapatos de saltos muito altos…
Minha Mãe! Minha Mãe!
E hoje é dia de Natal
E só posso dizer
Minha Mãe! Minha Mãe!

Matilde Rosa Araújo – O livro da Tila
Livros Horizonte,1986

(Ao mesmo tempo que elaborava este "post" recebi da Fátima Valente este mail que transformei em comentário )

Adeus MATILDE ROSA ARAÚJO...

Partiu hoje mais um grande vulto das nossa Letras!
Já partilhei isto convosco há meses, mas permitam-me que o recorde uma vez mais: num determinado dia dos finais do ano de 1974,
fazia eu uma visita à Drª Maria Xavier quando, em sua casa, conheci pessoalmente a Drª Matilde Rosa Araújo, que a visitava igualmente.
Logo me pareceu uma pessoa encantadora!
Sei que chegou a ser professora aqui na nossa cidade e creio, não o posso assegurar, que a grande ligação que ambas mantinham entre
si provinha precisamente dessa época.
Deixou-nos vasta obra, essencialmente dedicada aos mais pequenos.
Paz à sua alma!
Em jeito de homenagem, recordemos este poema
:

Berlinde

Era uma vez uma pomba
Sem um ninho, sem um pombal,
Era branca como a Lua
E os seus olhos de cristal.

Era uma vez uma pomba
Que não sabia chorar:
O seu choro trrru… trrru…
Era um modo de cantar.

Era uma vez uma pomba
Que noite e dia voava:
Fosse noite, fosse dia,
Nunca a pomba descansava.

Era uma vez uma pomba
Que nos céus, longe, voava,
Seu coração um berlinde
Grande segredo guardava.

Era uma pomba tão estranha
Que voava noite e dia:
Quanto mais alto voava
Mais da terra ela se via.

Era uma vez uma pomba
Com penas de seda real:
Era uma pomba do Mundo
Com seus olhos de cristal.

Seu coração um berlinde
De vidros de sete cores,
Que do sol tinha o brilhar,
Um espelhinho de mil flores.

Um dia longe nos céus,
Viu um menino a chorar
Sentadinho sobre um monte,
Numa noite de nevar.

Não era branco nem negro
Assim na neve o menino,
Seu chorar era triste,
Tornava-o mais pequenino.

E a pomba logo o viu
Com seus olhos de cristal:
Logo desceu para o monte
– Era aquele o seu pombal.

Poisou nas mãos do menino
Com seu corpo, seu calor:
Mãos por debaixo da neve,
Ninguém lhes sabia a cor.

Dorme, dorme, meu menino…
Branco ou negro tanto faz:
Meu coração é um berlinde,
Tem o segredo da Paz.

E o menino já ria,
Podia dormir sem medo,
Sonhava com o berlinde,
Coração feito brinquedo.

Há quem diga que uma estrela
Fugiu do céu a correr,
Atravessou todo o mundo
Para o segredo dizer.

Escutaram-na os meninos,
Têm um berlinde na mão:
Seja noite de Natal,
Seja noite de S.João.

Paz à sua alma...é interessante que quando ouvi a notícia, o nome me suou algo familiar...deve ter sido essa a razão..: a ligação à nossa Escola...!!!

Vamo-nos uns atrás dos outros, de cada um...fica o que de positivo possa ter feito pelos outros...!!!

Às vezes coisas que parecem até insignificantes, conjuntamente com a Amizade...mas é o que perdurará na memória dos que ficam...!!!

Cada vez mais orgulhoso por ter tido a ventura (também de ti Zé...!) de ter sido acolhido pelo mesmo telhado que tão ilustres professores e colegas...mesmo que alguns de nós(a maioria...), não tenhamos saído da penumbra do anon imato...!!!

Um abraço para toda a Familia Bordalo...!!!

Maximino.........07-07-2010

....Foi minha professora de Francês na Escola Industrial e Comercial das Caldas da Rainha, em 1954/5. Recordo-a com saudade porque pertence àquela meia dúzia de mestres que nos marcam para a vida.

Para ler texto completo (Clique aqui)

Carlos Cruz..........07-07-2010

MATILDE ROSA ARAÚJO
Escritora, professora, poetisa e...
simplesmente HUMANA
Tive o privilégio de me cruzar com esta grande SENHORA, no princípio da década de 50.
Foi minha professora de português, quando da sua passagem pela nossa Escola.
Nunca ouvimos nas aulas um tom de voz mais exaltado. Resolvia todos os problemas com uma tranquilidade invulgar. Até os colegas mais "reguilas" se deixavam influenciar positivamente.
Só quem privou com esta grande SENHORA, pode avaliar da serenidade e paz que nos incutia. Passados tantos anos, ainda recordo com saudade e transmito aos meus netos este exemplo de vida.

QUE A PAZ QUE DISTRIBUIU PELA TERRA.... A ACOMPANHE ONDE QUER QUE ESTEJA.

Mário Reis Capinha.........07-07-2010


Tenho dado voltas à cabeça e não me consigo lembrar da Dra. Matilde Rosa Araújo embora tivesse sido dos meus anos de escola. A Dr. M.Xavier foi minha professora de Língua História Pátria e ficou-me sempre na memória.
Da foto que a Solange guardou estão muitas alunas que nunca entraram no blogue.Sei o nome de algumas e pelo menos 5 ou 6 já não fazem parte deste mundo materialista. Estejam todos em paz.

Chaves..........07-07-2010

Sem comentários: