sábado, 29 de janeiro de 2011

Ainda a "Cerca do Burlão"

Olá Rapaziada.
A Isabel Alves fez despertar algumas recordações do Burlão.
Não sei se conheço a Isabel, mas tal como ela também vivi nesse local durante 5 anos mais, propriamente na Rua Engenheiro Duarte Pacheco que naquele tempo também fazia parte do Burlão, no prédio interior da D.Matilde Santa (Gama) não no da frente! e onde também viveram alguns nossos ex colegas assim com o Michael, mais tarde as irmãs Isabel e Lurdes que eram irmãs do Feliciano, pois este pessoal era mais pelas idades do Quim Chaves, Maximino etc. Talvez eles se lembrem de quem eu falo.
Mas voltando ás recordações desse local, quando lá vivi ainda se estavam a construir os prédios do Sr. Manuel J. Marques entre outros o Palácio da justiça (Tribunal) onde os presos passavam todos os dias em fila Indiana para a construção do Palácio, Já lá estava a Igreja, pois segunda a pesquisa que fiz á minha enciclopédia de 84 anos, o meu Pai! Diz-me que a Igreja foi concluída em 1950, porque foi no ano em que eu nasci e eu fui dos primeiros miúdos a ser Baptizado.
Quanto aos irmãos Blanc,não me recordo mas lembro-me dos irmãos Peças irem viver para as águas furtadas dos Prédios do Sr. M.J.Marques lembro os prédios do Sr. Batalha serem feitos, os do Sr. Manuel J. Branco.

E agora quem se lembra do Café Tadi? era um café muito pequenino que lá havia, cujo o proprietário era o Sr. Jaime Cordeiro o homem das Farturas e avô da nossa colega Mizá Milhanas.

Quanto á pergunta do amigo J.L.Reboleira de quantos ex colegas se encontram por esta bandas do Ontário, são muitos quase que de certeza já dava para fazer um mini encontro de colegas. Eu não serei das pessoas mais indicadas para conhecer ou saber de todos, porque como um verdadeiro emigrante e pioneiro, nunca estive muito tempo num sitio só, e por isso perdi o contacto de alguns dos colegas, ainda agora fiquei a saber que a colega Isabel está por aqui, ainda á bem pouco tempo vim a saber que está cá a Helena Romão agora (Amorim) na passada festa de fim de Ano vim finalmente a falar com um colega do nosso tempo que ainda tem qualquer grau de parentesco ao Zé Ventura ou sua esposa, que é o Jorge Ribeiro, uma figura com um certo relevo aqui na nossa comunidade, que eu nunca tive a oportunidade de contacto anteriormente, porém está combinado nós agora em breve nos encontrar-mos para falarmos e matar saudades dos nossos velhos tempos de juventude.

Mas contudo tenho sempre a agradecer a este meio de contacto oferecido pelo nosso caro Amigo Zé Ventura, que nos trás boas recordações e nos ajuda a exercitar e avivar as memórias.

Abraço forte para todos

Antonio Abilio

Comentários:

É pá, Abílio és muito antigo! Sabes essas coisas todas...já deves ser muito velhinho!!! Ahahahah... Agora falando sério, não me lembro de nada do que escreveste, pois eu fui para o Burlão já com 12 anos, onde os festejei com amigos da escola, ouvindo a grafonola do meu pai e onde estava o teu primo Fanoca (aquela foto que te mandei no terraço da minha mãe, sabes?) Agora uma pergunta se tu foste dos primeiros miúdos a serem batizados onde é que se batizavam antes? Estou a brincar! A tua sorte é que a tua enciclopédia tem uma boa memória, senão...Tens que cuidar dela muito bem por causa das humidades. Beijinhos a todas as enciclopédias deste blogue.

Lurdes Peça ................30-01-2011

Olá António

Recordo-me muito bem do Café Tadi, localizado ao lado da Papelaria Aúrea. Se não me engano a Sapataria Amador está presentemente na localidade do Café. Eu e a minha irmã fomos companheiras de infância, até á nossa partida para o Canadá, do Zé Manel, neto do Senhor Jaime Cordoeiro. O António refere a Cordeiro mas tenho a certeza que um de nós está errado, possívelmente eu. Como não havia Televisão em nossa casa, foi no Café Tadi que assistimos á visita de Papa Paulo VI a Portugal em 1967 e ao 1º Homem a pisar na Lua a 20 de Julho de 1969. Consultei também a minha enciclopédia de 83 anos, o meu pai, o Rafael Alves,conclusão; o seu pai era o carteiro e bem conhecido dele. Nós moramos na Rua Engenheiro Duarte Pacheco, Nº 18, nas aguás furtadas, vizinhos da família Peça, o senhor Peça e o meu pai trabalharam juntos na SEOL, nos bairros do Viola.
Beijinhos e feliz semana. Mais uma vez, agradecimentos para o Zé Ventura, a escolha da foto do Borlão é muito apropriada.

Isabel Alves.........30-01-2011

Olá Meninas do nosso tempo e todos colegas.
Sinto-me feliz por ter despertado vontade ás colegas para participarem no Blog e recordar o passado.

Lurdes, a idade dizem que é só um numero e eu só tenho um mais do que tu. Ha,Ha, quanto à pergunta onde se batizavam as crianças antes de haver a nova Igreja, acho que era na Nossa Senhora do Populo, mas isso era antes do meu tempo, sobre lembrar-me de tudo, acho que o nosso computador guarda todas essas memorias só que alguns apanham humidades e fazem o delete.

Amiga Isabel ainda bem que temos as nossas encicolpédias para consultar pois conheço muito bem o teu Pai, já não o vejo há alguns anos porque estive a viver em Kingston 15 anos só regressei à 10 e não tenho andado pela zona onde ele anda, mas é bom saber de voz. dá-lhe um abraço por mim e outro por o meu Pai!
Quanto ao Sr. Cordoeiro estás certa, eu ia pedir ao Zé V. que corrigisse o nome, pois tinha quase a certeza que não era Cordeiro, ainda bem que estavas atenta.
O neto do Sr. Cordoeiro é mais para a tua idade e a neta Mizá é um ano mais do que eu. Quando fui para o Burlão eu tinha 5 anos e recordo-me de muita coisa e gosto de as reviver, por isso acho este blog um lugar maravilhoso para o realizar graças ao Zé V. e ao seu bom trabalho que podemos encontrar amigos que já não se sabia deles ou delas e aqui se consegue reencontrar.
Continuem sempre a participar e divulguem aos que tem vergonha que afinal o blog não é um bicho da Era electronica, mas sim um meio de reviver o nosso tempo de miudos.

Abraço a todos

Antonio Abilio.............30-01-2011


Eu não queria de forma alguma "contrariar" as vossa enciclopédias, mas não estou a ver muito bem a inauguração da Igreja em 1950...
Eu explico..: nasci em 43 por isso tinha em 50, 7 anos...
Ora acontece que eu me parece que já teria pelo menos uns 9 quando foi a inauguração...
O facto de o nosso amigo ter nascido em 50 e ter sido o 1º a ser baptizado não quer dizer que o tenha sido logo no ano do nascimento, embora nesse tempo não fosse usual baptizar as crianças muito para além do ano de idade...
E pergunta o nosso colega onde baptizavam as crianças antes...pois eram baptizadas na Igreja Paroquial que era NªSª do Pópulo, junto ao Hospital Termal...
Aliás ainda hoje a Paróquia das Caldas tem como orago NªSª do Pópulo,cujo templo era a Igreja Matriz, mas a Igreja do Borlão, hoje sede da paróquia... é dedicada a NªSª da Conceição...

Mas vendo melhor, o ano de 1950 foi um ano de celebrações dedicadas a NªSenhora, daí que faça sentido que tenha sido 1950 o ano da sua inauguração...
Possivelmente eu tinha mesmo 7 anos a caminhar para os 8 e a "enciclopédia consultada" é mesmo mais certa do que ...a minha cabeça...!!!

Abraço do Maximino .............30-01-2011

Prontos já que está tudo a comentar o Burlão, aqui vou eu também.
Pois eu lembro-me perfeitamente de tudo aquilo que o António Abilio disse e acrescento o seguinte. Sou do tempo do inicio da construção do actual tribunal, pois ia brincar para junto da paliçada que havia em redor da construção, onde nos pendurávamos para ver os presos a partir pedra e fazendo a obra crescer.
Por trás do tribunal havia um ENORME descampado onde se realizavam espectáculos circenses. Recordo ter assistido uma vez á montagem de um espectáculo de trapezistas, se a memória não me engana "OS ARAMIS" ou coisa parecida. Nunca vista por estes lados. Diga-se para quem assistiu tal como eu e atendendo ás condições da época era um espectáculo imponente, ocupando quase toda a área então.
A minha irmã era mais pequena e na altura (tal como agora) tinha o cabelo loirinho muito brilhante e os donos do espectáculo queriam comprá-la aos meus pais. Foi uma pena de facto pois hoje era um tipo MUITO RICO e não tinha aturado aquela pestezinha!!! Estou a brincar claro. Lembro-me que o guarda dos presos era o pai da Lurdes Botelheiro que morava numa casa junto á obra. Obrigado por este bocado. Abraço a todos.

Vitor Pessa.........30-01-2011


Sim, sim Victor Pessa...também me recordo de ver esse espectáculo...
Parece-me que o nome era..: "Les Aramis" e consistia no atravessamento de um cabo a uma altitude bastante grande, creio que sem rede...e eles faziam uma variedade grande de malabarismos lá no alto...
Lembro-me de que andavam de bicicleta...que se sentavam numa cadeira em equilíbrio muito instável, que fingiam desequilíbrios...que nos tiravam a respiração...!!!
E também me lembro bem dessa "boa política" prisional, que colocava os presos a trabalhar (para pagarem a estadia no "hotel"...)...
Assim foi feito o Tribunal das Caldas, de Santarém e de muitos outros certamente, ao longo do País...
E agora boa noite e até amanhã...

Abraço do Maximino... ......30-01-2011

Sem comentários: